A Conclusão da Jornada?

Olá, pessoal. Espero que vocês estejam todos se cuidando e protegendo a si mesmo e seus familiares.

Estou escrevendo este post porque pode ser que seja o último que farei aqui no blog. Depois de sete anos de postagens (desde 2013) posso dizer que me encontro na melhor situação de prosperidade financeira que já me encontrei na vida – mesmo com toda a crise do corona e tudo.

Hoje, tenho um emprego na área pública e minha mãe conseguiu resolver os problemas jurídicos enormes que rondavam a pensão dela. Estamos, de certo modo, confortáveis. Eu diria que estamos melhor do que uma boa parte da população no Brasil.

Obviamente este não é, ainda, o meu ‘ideal’. Eu consegui um emprego público que me permite entrar e sair em um horário pré-estabelecido, sem estresse de levar trabalho para casa ou outros problemas que rondavam os meus outros empregos, e que ainda me permite investir em meus projetos pessoas – o verdadeiro objetivo meu em termos de conseguir prosperidade. Alias, verdade seja dita: foi só em 2013 (quando comecei minha jornada de auto aprimoramento) que realmente consegui o meu primeiro emprego ‘de verdade’ – antes disso eram só bicos ocasionais e contratos incertos.

Ainda tenho um caminho longo a percorrer. Eu só subi o primeiro degrau, como comentei no último post. Ainda tenho todas as outras áreas da minha vida para resolver.

Entretanto, para não correr o risco de simplesmente abandonar este blog sem uma ‘conclusão’ de todo esse Ensaio sobre a Prosperidade, vou resumir aqui o que eu aprendi:

1 – O quanto eu melhorei de 2013 para 2020? Muito! Estou bem mais madura, mais centrada e mais esperta. Sim, isso poderia ser consequência ‘natural’ de amadurecer cronologicamente, mas eu si o quanto várias pessoas permanecem sempre as mesmas mesmo depois de várias décadas de vida.

Não, eu não estou no meu ‘ideal’. Tenho muito o que melhorar. Mas na área social e, sobretudo, financeira, eu evolui muito.

2 – Sim, algumas técnicas de autoajuda que fiz uso fizeram diferença na minha vida. Eu poderia dar destaque especial a EFT, a Ressonância Harmônica e o Aura Vibe, que foram as três que, no momento que eu usei e investi, parece que fizeram mais “efeito” para mim. Mas não posso afirma que todas as outras não fizeram um efeito mínimo.

Talvez a parte que me preocupe é que eu sinto que, com todas as três, eu bati “no teto”. Sim, todas elas me ajudaram a evoluir, mas sinto que não estão funcionando mais. Ou talvez eu que tenha me acomodado? É possivel! Mas quero deixar registrado aqui: estas três técnicas funcionaram para mim. Sou grata a elas.

3 – Nem todos os coachs de autoajuda são realmente ‘positivos’. Bem, isso deveria ser óbvio, mas estou colocando aqui só para constar. No meio do caminho, cheguei a me decepcionar amargamente com alguns deles – em destaque para Robert Kiyosaki, Paulo Vieira, Graça Marquez e Marcos Trombetta. Não apreciei certas ideias e atitudes destes quatro coachs. Não vou citar os motivos, prefiro apenas que vocês vejam o trabalho deles – se tiverem interesse – e tirem suas próprias conclusões.

4 – O ano de 2019 foi o ano mais difícil para mim de todos estes sete. Mas, em compensação, o de 2020 está sendo o melhor (apesar da pandemia). Pode-se dizer que, em termos sociais, o de 2015 foi melhor. E a segunda metade de 2014 foi também um período difícil.

Será que há alguma coincidência aqui? Quando um período muito ruim vem para mim, na sequencia vem algo bom? Bem, eu espero que meus anos, agora, possam ser cada vez melhores e melhores sem eu precisar passar por algo ruim de novo.

5 – É necessário investir dinheiro em técnicas de autoajuda? Bem, no meu caso, eu investi. Algumas eu não vi o retorno, outras eu vi o retorno com folga! Destaque para as três já citadas – em todas elas eu cheguei a investir algumas centenas de reais. Não de uma vez, claro! Entretanto, todas elas são possíveis de serem estudadas e praticadas gratuitamente. Se você sentir que a amostra grátis fez efeito, então tente a paga. Mas tome cuidado para não colocar todo o dinheiro que te resta numa única opção. Pelo menos isso eu nunca fiz.

6 – O que estaria faltando para eu atingir meu ideal? Eu ainda sou muito insegura socialmente. E embora eu esteja ganhando dinheiro com meu trabalho, ainda não é o trabalho que eu realmente quero fazer. E sim: estou lutando contra a procrastinação, esta inimiga que preciso derrotar todos os dias.

Entretanto, posso dizer que estes sete anos me ajudaram a construir um chão sólido onde eu posso pisar e começar a galgar vôos mais altos.

E então… é isso!

Talvez eu ainda volte neste blog para falar de mais novidades, mas… se isso não acontecer, pelo menos queria deixar esta conclusão digna.

Obrigada a todos que me acompanharam. E eu espero que vocês continuem se aprimorando!

Subindo um Degrau… o segundo é mais difícil!

Bem, parece que, enfim, subi o primeiro degrau da famosa Escala Maslow. Dinheiro, no momento, não é uma fonte de preocupação. Claro, não estou rica… longe disso! Mas com o meu emprego estável (apesar da crise do Corona) e com a situação da minha mãe finalmente garantida, posso dizer que estamos no momento de maior estabilidade financeira que já estivemos a vida toda!

Agora é hora de cuidar do segundo degrau…

Bem, após estes dias de quarentena, posso dizer que a minha saúde física anda meio capenga. Preciso com urgência voltar a fazer exercícios físicos… a quarentena não é desculpa! Afinal, não é preciso ir até uma academia para fazer isso. Sem falar, é claro, que a minha alimentação tem sido muito, muuuuuito desleixada! Preciso voltar a entrar no prumo neste quesito também.

Ah, e falando em ‘voltar para o prumo’, creio que vou precisar de um novo prumo para me alinhar.

Cheguei num ponto em que eu não sinto mais que a Ressonância Harmonica está me fazendo evoluir… sim, talvez o erro seja meu, mas sinto que bati numa parede. E outra ferramenta que eu diria que funcionou muito bem para mim, sobretudo no ano passado, que foi a Aura Vibe e Aura Master do Luz da Serra, também sinto que não estou conseguindo mais ir a lugar nenhum com as duas.

Não sei… sinto que, apesar de ter conseguindo superar os meus problemas financeiros, dei com a testa na parede. E até a minha mais recente vitória, a de largar os remédios para Síndrome do Pânico que começou a me perseguir desde o final de 2018, me parece meio agridoce… eu melhorei MUITO sim, estou até melhor de antes da minha síndrome, mas às vezes me sinto meio… estafada…? Não sei explicar direito. Não estou depressiva, mas estou estafada mentalmente. E num prumo neutro que não me parece totalmente bom.

Em parte, talvez seja pelas coisas acontecendo no mundo. Sobretudo no Brasil. Eu confesso que, às vezes, olho para uma notícia e nem me choco mais com os absurdos da política e do mundo em geral… sério… fica uma sensação de: “Ah, tá… aconteceu isso? Bom, paciência, né? A gente cansou de avisar… agora aguentem vocês, porque eu não vou me dar mais ao trabalho de avisar nada nas próximas vezes.”

É, preciso dar um jeito nisso.

Fim dos Remédios!

Enfim me livrei de vez dos remédios que estava tomando para síndrome do pânico! Tomei minhas últimas gotinhas semana passada!

Foi um período relativamente curto, mas problemático, em que eu tive que fazer uso deste medicamento.

De resto, referente ao meu post anterior, andei pensando mais um pouco e cheguei à conclusão que transsexualidade não tem nada a ver comigo mesmo. Talvez algo que possa fazer mais sentido no meu caso seja o não-binário.

Novamente: se alguém quiser se referir à mim como mulher, não ficarei ofendida de forma alguma. Da mesma forma que, se alguém quiser se referir à mim como homem, também não vejo problema nenhum.

Ainda preciso pensar um pouco mais, talvez conversar com algumas pessoas (não só profissionais, mas outros que pensam de forma similar) e ver o que acontece.

De resto: sim, eu ainda adoraria vestir um terno! Quem sabe um dia eu seja ousada o suficiente para fazer isso.

 

Novas descobertas pessoais?

Olá, pessoal! Faz mais de um mês, certo?

Bem, a quarentena para mim está semi-aberta. Voltei a trabalhar presencialmente em horário reduzido e não todos os dias, mas voltei fisicamente ao meu local de trabalho.

O mundo parece que pegou fogo nestes últimos dias, não é? Já estava transbordando durante a pandemia (que segue, infelizmente, firme no Brasil…) e agora estourou com a exposição nua e crua de injustiças sociais que ficaram debaixo dos panos. Hoje, minha mãe comentou que “na época dela não tinha tanta violência”… balela, claro que havia. A diferença é que hoje ficamos sabendo das coisas com mais facilidade, mas tragédias sempre aconteceram – e muitas ficavam debaixo dos panos.

Bom, mas este post é para falar de algumas coisas que eu tenho pensado à respeito de mim mesma. Para começar, desde que o papo de pessoas transgeneras começaram a surgir parece que uma luzinha se acendeu na minha mente…

Tenho começado a notar padrões que poderiam se encaixar no meu caso, além de relatos de vida que também se assemelham aos meus. O fato de eu não conseguir me encaixar muito bem no estereótipo ‘feminino’, e que toda a vez que alguém comenta que ‘certa coisa é coisa de homem’ eu me vejo fazendo ou gostando desta coisa naturalmente desde que eu me lembro por gente.

Nunca fui muito feminina, pelo contrário. Sempre detestei vestidos e só usei quando a ocasião exigia (tipo festa de casamento ou coisa assim). E recentemente eu acabei encontrando umas fotos minhas de uma festa que fui na época do colégio onde todos deviam usar roupa social – eu fui a única menina que fui usando calças. Confesso que olhando minha foto ela é até meio hilária, do tipo que muitos poderiam bater o olho e pensar “nossa, que sapatão!”

E também devo dizer que muitas, MUITAS pessoas já pensaram isso de mim. Inclusive alguns meninos que, só não se aproximaram de mim, porque achavam que eu não gostava da coisa. Ora, eu CERTAMENTE gosto de homem sim! Mas… será que eu seria realmente uma ‘mulher’?

Uso muito a minha imaginação para visualizar relacionamento entre dois homens para me excitar. Sempre achei que fosse normal, como no caso de dois homens que gostam de ver lésbicas. Mas quando eu falava a respeito disso com outras mulheres, elas ficavam chocadas!

Eu também já me imaginei como um homem. Particularmente porque eu acho que eu poderia ter uma aparência melhor se eu tivesse uma barba. Não curto o formato do meu rosto desde que eu sou pequena. Eu gosto de roupas de padrão mais unissex e, mais de uma vez, eu já pensei em entrar numa loja de roupas masculinas e comprar alguma coisa para mim: “É presente para o meu namorado!” eu diria…

Bem, eu não posso afirmar que eu sou um homem trans. Não vejo grandes problemas em as pessoas continuarem me considerando uma mulher para sempre – quer dizer, não sei. Será que eu me sentiria melhor sendo chamado por um nome masculino? Nunca ninguém fez isso comigo antes. Como seria a sensação? Estes questionamentos, que estavam adormecidos e que vinham em doses minúsculas na minha cabeça de tempos em tempos, agora estão aparecendo com mais força. E… bem, nunca é tarde para se descobrir, certo?

Enfim, ainda estou ponderando este assunto. Engraçado como, basta uma quarentena em que o seu ritmo louco de trabalho pára, para você começar a refletir mais sobre a sua própria vida, não é?

Boas Notícias Durante a Quarentena

Olá, pessoal! Boas notícias de minha parte!

O acerto do dinheiro da minha mãe parece ter, em parte, se resolvido. Ainda não está 100% resolvido, mas estou muitíssimo mais confiante! Sobretudo porque o meu medo era que, justamente por causa do corona virus e a paralisação de parte dos trabalhos na área pública, poderia demorar ainda mais para sair o dinheiro da minha mãe. E saiu, enfim! Mais rápido do que eu esperava, felizmente!

Irei voltar à trabalhar esta semana, mas tentarei me resguardar e me precaver ao máximo. Não adianta um bando de histéricos fanáticos gritarem que é só uma ‘gripezinha’ ou mesmo que a economia deve prevalecer sobre a vida humana. Isto é balela da grossa. Alias, ver o discurso genocida de certas pessoas que não se importam nem um pouco com a vida dos outros me assusta: nunca imaginei que havia tantas pessoas assim no mundo. Parece aquele tipo de vilão clichê fanático.

Infelizmente, ao olhar para o cenário político do Brasil e ver os bolsonaristas e sua loucura, eu começo a entender como desgraças do tipo que aconteceram na Alemanha nas décadas de 30 e 40 ocorreram. É surreal! São pessoas de uma frequência espiritual absurdamente baixa.

E acabei ficando bem decepcionada ao descobrir que um a mulher que eu seguia no youtube, que trabalhava com Barras de Acesso (que eu ainda queria descobrir mais sobre o assunto) é Olavista. URGH!!! Desesperador! Não vou citar nomes, mas fiquei bastante decepcionada com a pessoa.

Parece que nem todos aqueles que se dizem trilhar ‘caminhos de luz’ realmente seguem a Luz. Terrível…

mas eu vim aqui para dar boas notícias, não é? Minha saúde e a de minha família está boa. Minhas finanças estão em plena recuperação. Tudo anda bem aqui do lado de dentro de casa. Agora preciso me precaver para o que vem de fora. De resto, continuo organizando minhas coisas e tocando a minha nova ressonancia harmonica. E só.

Corona – Humanidade, Agora é a Hora!

Uau, eu não tinha ideia que eu ainda não tinha postado nada este ano! Sorry! Muitas coisas e arrumações e coisas e conversas e COISAS para fazer!

Bom, um resumo deste trimestre foi que minha relação com o dinheiro melhorou bastante. Não tenho mais tanto desespero em termos de controle e perdas e coisas assim. Está uma relação mais saudável, apesar de termos começarmos o ano com algumas dificuldades – sobretudo em relação à herança e pensão da minha mãe com o falecimento do meu pai Mas eu lidei com tudo de maneira ótima.

Desde dezembro já comecei a fazer a diminuição dos remédios para minha síndrome do pânico. Estou tomando um em gramas reduzidas dias sim, dia não. Em breve vou passar no médico para diminuir ainda mais e, enfim, me ver livre totalmente dele.

Finalmente chegou o meu novo audio de Ressonancia Harmônica! Como comentei, faz mais de um ano que estou fazendo os pedidos do audio de graça e, por esta razão, eles demoram mais. Sem problemas, vamos trabalhando com o que a gente tem.

Para finalizar… é, o Corona virus. Eu tenho muito em minha mente que esta pandemia é uma catarse que o mundo tem necessidade de passar, infelizmente. Nestes últimos anos o que eu vi ao meu redor foi uma verdadeira crise moral no Brasil – no mundo todo, alias – onde o egoísmo, a raiva e a vingança parecem ter derretido qualquer coisa boa que resta no ser humano.

Este é um momento dificil feito para as pessoas se unirem e se elas não melhorarem na marra, virá coisa pior depois… desculpe, sei que soa meio apocalíptico, mas é isso que eu sinto que está acontecendo.

Eu espero que todos vocês se protegem e cuidem uns dos outros. Todos nós, alias.

Prometo que o próximo uptade será mais rápido. No mais, vou seguindo nos meus ensinamentos!

Feliz Nova Década!

Olá, faz tempo que não posto, não é? Então vou aproveitar para fazer uma retrospectiva deste ano.

Bem, em termos familiares e de amizade, infelizmente perdi quatro pessoas queridas – incluindo meu gato. Mas pelo menos consegui estreitar ainda mais laços de amizade com outras pessoas.

Em termos financeiros, consegui atingi um desprendimento maior, algo que eu nunca pensei que conseguiria! Não fico mais ‘contando centavos’, embora a situação atual não esteja muito boa – já temos a certeza que ela vai melhorar lá pelo meio do ano que vem, mas enquanto isso, temos que ir aguentando.

Os projetos de trabalho não andaram muito, mas consegui ter uma visão melhor deles.

Psicologicamente, sinto que amadureci muito, muito mesmo só neste ano! E acho que o principal responsável por isto foi realmente o Aura Vibe e os trabalhos do Luz da Serra/Bruno Gimenez. Consegui subir a outro patamar graças a eles.

Em especial, tenho sentido mais necessidade de me cuidar (será a idade? rsrsrs!) de dar um bom tratamento à mim mesma. No meu último post eu falei sobre merecimento, não éw Acho que é aqui que está o ‘pulo do gato’, bem aqui!

No mais, agradeço por estarem acompanhando este blog! E por ele servir de inspiração para tantas pessoas!

Feliz 2020!

É o que tá “pegando” mais

Olá, pessoal! No meu último post eu comentei sobre o aura master/ aura vibe que eu iria fazer um ciclo mais certinho e rápido desta vez. Bem, eu fiz metade – 14 dias quase corridos e aí dei uma parada. Em parte, por causa de afazeres, em outra parte porque eu sinto o que tá “pegando” mais agora.

O famigerado não-merecimento parece ser o que está atravancando algumas coisas. Ele apareceu para mim diversas vezes neste último tempo. E, embora eu tenha dado uma pausa na ressonancia harmonica, algumas palavras e posts do Professor Helio parecem ter chegado na hora certa para mim enquanto eu estava distraída.

Às vezes sinto que estou na beirada, na beiradinha de atingir meu objetivo, e aí alguma coisa me puxa de volta! Tem sido assim diversas vezes e, nos últimos tempos, tenho percebido que esta “beirada” tem se alargado pais em direção ao sucesso, mas ainda sem alcançá-lo plenamente.

Acho que esta é a parte que vou ter que me concentrar mais nestes próximos dias.

Ah, e acho que já comentei que, de vez em quando, eu sempre tenho sonhos em que estou tentando andar, mas sinto um cansaço enorme nas pernas e não consigo ir em frente, não é? Pois é, este é outro sonho que andou meio recorrente nestes últimos dias.

Vendaval Aziago

Bem, bem, bem… faz tempo que não atualizo o blog, pois só queria atualizá-lo depois de completar um ciclo de 28 dias do Aura Vibe, a prática que estou fazendo no momento. Eu a comecei logo após concluir o Aura Master, no dia 20 de maio.

Sim, parece piada… mas levei dois meses e meio para concluir uma etapa que duraria menos de um mês! E muita coisa aconteceu neste meio tempo.

Para começar, meu pai faleceu.

A verdade é que ele estava precisando muito descansar, ele pedia para descansar. E foi o que aconteceu. Porém, neste meio tempo, as questões financeiras da casa viraram de cabeça para baixo, já que minha mãe recebia pensão dele e, agora, terá que refazer todo o processo tudo de novo. Uma questão delicada que pode demorar muitos meses.

Felizmente, recebi um pequeno adiantamento da herança – a parte completa ainda vai levar muito tempo, infelizmente – e pude comprar algumas coisas que eram necessária spara mim, para minha mãe e para a casa.

Minha mãe também adoeceu neste meio tempo e precisou fazer muitos exames médicos. Muitos! Felizmente, ela está bem agora.

Enquanto isto, eu tentei ir levando as coisas na medida mais acertada possível. Fui fazendo o Aura Vibe em doses homeopáticas e – confesso! – sem o esmero necessário. Mas queria primeiro completar o primeiro ciclo de 28 dias para recomeçar de forma acertada desta vez!

Realmente, estes meses foram transtornados. mas consegui lidar com os problemas de uma maneira mais equilibrada do que eu esperava. Neste meio tempo comecei mais um ciclo de organização nas minhas coisas. Tenho voltado a assistir muitos videos do Luz da Serra neste meio tempo e parece que o conteúdo deles está melhorando muito desde a época em que os conheci.

As coisas ainda estão longe de estarem organizadas, mas estou bem tranquila e otimista.

Espero que a próxima atualização venha em, no máximo, um mês!

Só vítimas sentem desejo de vingança

Olá, faz alguns minutos que a terceira aula do destrave-se do Luz da Serra acabou. Eles falaram coisas bem interessantes, sem falar que o Aura Master ajudou a aliviar um pouco a dor insuportável que eu estava sentindo na lombar.

Mas acho que o que mais pegou foi eles falarem muitos sobre “limpar virose emocional” que, enquanto não for limpa, você pode fazer todos os cursos, assistir todas as palestras e se submeter a todos os tratamentos físicos e espirituais que nada vai funcionar de verdade.

E foi assistindo a aula, além de eu ter visto algumas coisas na internet, que me fizeram lembrar de um grande desafeto meu na área profissional. Alguém que eu sabia que já tinha diminuído, e muito, o ódio que eu sentia dele… mas ainda não era capaz de perdoá-lo o suficiente para desejar o seu sucesso.

Isso ficou martelando na minha cabeça por um bom tempo! martelando… martelando… “Como eu faço para perdoar este desgraçado?! Eu já fiz o mais difícil, que foi perdoar meu pai e minha mãe, mas como eu perdoo este desgraçado que me prejudicou tanto?! Eu QUERO perdoá-lo, nem que seja para eu finalmente prosperar! Eu já fiz tanto, mas tanto…!”

E esta questão ficou reverberando na minha cabeça… reverberando, reverberando… até que eu percebi:

“Eu o odeio porque eu INSISTO em ser uma vítima.”

“Vítimas não conseguem nada, só conseguem pena.”

“Como uma vítima vai ter sucesso se, supostamente, tiraram isto dela?”

E então eu senti um alívio imenso! O mesmo alívio que eu estou compartilhando com vocês agora.

Mas eu sei que preciso trabalhar para continuar mantendo este equilíbrio. Afinal, o meu sentimento de vingança por esta pessoa durou anos e anos, e só há poucos anos saí do sentimento de vingança para raiva… depois raiva para desprezo… e acho que agora é o primeiro passo para perdoar de verdade esta pessoa e desejar seu sucesso de coração.

É um alívio imenso perceber que você não tem inimigos! e os poucos que se levantarem contra você irão mais te ajudar do que te afundar!